sábado, maio 11, 2013

Sujeito e objeto



Adorava o jeito que ele pontuava as frases! Períodos curtos. Sentimentos intensos.
Lamento não ter sido tão longo nosso período juntos. No meu texto havia mais reticências… muitas vírgulas.
Mas ele insistia em usar exclamações e frases sucintas. Enquanto eu tentava, entre parentêses, prolongar aquela sentença.
Ele vinha com travessões e interrogações descabidas. Dentro de sua cabeça surgiam histórias sem começo meio ou fim. E eu, na tentativa de organizar a narrativa, me vi perdida num labirinto de frases e letras desconexas.
E o que era para ter sido um romance, acabou como livro de bolso.

1 Comentários:

Blogger Bernardo disse...

Essa até pensei que era pra mim! quem dera fosse ein... :p

1:15 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial