sábado, maio 11, 2013

Derramada


A matéria da poesia é o sofrimento
O que transborda
O que não cabe mais
O que extrapola do caos
O ego fragmentado

O que não se importa em ser entendido
O que causa tremor
O que contrai
O que pulsa descompensado
O que não pode ser calado

O que não quer ser editado
O que precisa ser vomitado
cagado, peidado, arrotado

Aquilo que não quer ser corporificado
Nem fotografado
Nem plastificado
Mas sim jorrado

Camm

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial